Skank – Siderado – 1998

Siderado Skank

Siderado: disco do Skank, de 1998

Por Leo Morato

Skank foi A banda nacional da minha adolescência e “Siderado” foi seu último bom disco, senão o melhor. O álbum vai do bordão de boteco “comandante, capitão, tio, brother, camarada, chefia, amigão, desce mais uma rodada”, em Saideira, até a psicodelia ao estilo Jorge Ben com a premiada Mandrake e os Cubanos.

Com este disco, o Skank começou a entrar no território do pop brasileiro e largar o rock de lado, graças ao sucesso da balada Resposta. Música que também abriu as portas para a parceria entre Nando Reis e Samuel Rosa e gerou inúmeras outras músicas em outros discos de ambos os músicos.

Resposta e a parceria Reis-Rosa se tornou uma música-marco na carreira do Skank, um ponto de virada (para quem gosta de termos em inglês: turnover) no foco das composições dos discos seguintes e até no clima e público alvo dos shows de tournês futuras.

Siderado é o disco de reinvenção da banda que vivia presa aos hits chicletes como “Garota Nacional” e “É uma partida de futebol”. Se isso foi algo bom para a banda ou não, depende do gosto de cada um, mas que foi ótimo para a música brasileira… foi!

Skank – Siderado

Ouça o disco

  1. Marginal Tietê
  2. Do Ben
  3. Resposta
  4. Siderado
  5. Mandrake e os Cubanos
  6. Os Homens das Cavernas
  7. Romance Noir
  8. Don Blás
  9. Calipsoê
  10. No Meio do Mar
  11. Saideira
Anúncios

Comente sobre este disco

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s