David Bowie – Station to Station – 1976

David Bowie

Station to Station: disco do David Bowie, de 1976

Colaboração de Ana Amélia Coelho

Dentre os trabalhos de David Bowie dos anos 1970, Station to station não ocupa uma posição de destaque – frente a Ziggy Stardust, Aladdin Sane ou a trilogia berlinense (Low, Heroes e Lodger).

É um trabalho enxuto: são seis faixas, das quais cinco composições foram gravadas em Los Angeles, em paralelo à filmagem de O homem que caiu na terra.

A primeira faixa, que dá nome ao álbum, é a sua gravação de estúdio mais longa, ultrapassando os dez minutos. Nela, temos a menção a “The Thin White Duke”, mais um de seus personagens, e a referência direta à cocaína.

O uso da droga, aliás, marca a época – o consumo era tão grande, dizem, que ele pouco se lembra do que fez ou disse naqueles tempos. Basta ver vídeos seus, como o clipe de Golden years, gravado durante o programa televisivo “Soul Train”, para ver seu estado ao mesmo tempo cadavérico e chapado.

Sob o efeito da cocaína, Bowie também deu declarações polêmicas à imprensa e, segundo relatam, saudou seus fãs numa estação de trem londrina com o gesto heil nazista.

Controvérsias à parte, Station to Station é um trabalho de transição entre a fase soul/black music de Young Americans e as experimentações musicais seguintes. Traz baladas como Word on a wing e Wild is the wind, com ótimos vocais.

É difícil dizer qual o ponto alto do disco. Em Stay, destaca-se a guitarra de Carlos Alomar, um dos músicos que mais acompanhou Bowie em toda a carreira. Golden years – que foi escrita para Elvis Presley, que recusou a canção – e TVC15 se destacam.

A edição do selo Rykodisc, a que tenho, também traz versões ao vivo de “Word on a wing” e “Stay”, em sua turnê pelos EUA. Um biógrafo conta, por sinal, que num de seus shows em Detroit, Madonna, ainda uma jovem desconhecida, estava na platéia assistindo atenta ao ídolo.

Num dos passeios com Iggy Pop em Nova York, cruzam com os Ramones, que em pouco tempo lançariam seu primeiro álbum. Depois da temporada nos EUA, Bowie parte para a Europa, primeiramente na França, produzindo The Idiot, de Iggy Pop, em seguida a Suíça e Berlim.

Cada álbum de Bowie é peculiar, único, mesmo que ele se encontre no meio do caminho, entre uma fase e outra, como é o caso de Station to station e sua atmosfera de mistura, encontros e passagens. É parte da vida de um dos maiores ícones da história da música.

David Bowie – Station to Station

Ouça o disco

  1. Station to Station
  2. Golden Years
  3. Word on a Wing
  4. TVC 15
  5. Stay
  6. Wild Is the Wind
  7. Word on a Wing
  8. Stay
Anúncios

Comente sobre este disco

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s