Foo Fighters – Foo Fighters – 1995

Foo Fighters

Foo Fighters: disco do Foo Fighters, de 1995

Colaboração de Roberto Troccoli

Existem alguns discos que você ouve na adolescência e que ficam na sua memória afetiva para sempre. O primeiro disco do Foo Fighters é um daqueles que se enquadram neste perfil. Até hoje escuto e continua sendo um dos meus cinco álbuns preferidos de todos os tempos.

Após a trágica morte de Kurt Cobain, muitos fãs, assim como eu, ficaram órfãos de seu talento e de suas grandes músicas. Isto não foi diferente para o então baterista do Nirvana, Dave Grohl, que ficou sem rumo após o final repentino de sua banda. Grohl já compunha quando estava no Nirvana, tanto que a canção “Marigold” foi lançada como lado B do single “Heart-shaped box” e foi cantada e composta por Grohl.

O que poucos sabem é que Dave já tinha lançado um trabalho solo em 1992, sob o codinome Late. Lançado somente em fita cassete, o álbum tem o nome de Pocketwatch e contém 10 músicas de autoria de Grohl. Entre elas, “Friend of a friend” – que faria parte dos discos do Foo Fighters, In Your Honor e Skin and Bones – “Marigold” – lançado com o Nirvana um ano depois – e “Winnebago” – lado b do single da música “This is a call”.

Em outubro de 1994, Grohl entrou em estúdio com a ajuda do produtor Barret Jones, que já tinha trabalhado com ele no projeto Late. Nesta demo ele tocou todos os instrumentos e ainda cantou. A fita chamou a atenção de grandes gravadoras e, em 1995, acabou assinando com a Capitol Records para lançar este que seria o primeiro disco do Foo Fighters.

Dave chamou para participar do Foo Fighters dois ex-integrantes da banda de Seattle, Sunny Day Real State: o baixista Nate Mendel, o baterista William Goldsmith e Pat Smear para a outra guitarra. Este último, ex-integrante da lendária banda punk The Germs e guitarrista do Nirvana na turnê do disco In Utero.

Nenhum deles tocou em nenhuma faixa do álbum de estreia do Foo Fighters. Grohl gravou tudo, com exceção da segunda guitarra da canção X-Static, gravada por Greg Dulli, do Afghan Whigs. O disco transborda punk e energia em todas as suas 12 faixas. Tudo com muita melodia, algo herdado claramente do Nirvana e das bandas precursoras do rock alternativo dos anos 80, Husker Dü e Black Flag.

This is a call” foi composta após a morte de Cobain e faz referência à Ritalina, remédio utilizado para o tratamento de crianças hiperativas. Talvez uma letra autobiográfica, mas as letras de Grohl para este disco – segundo ele mesmo – não fazem tanto sentido. Uma música energética e poderosa, mostrando que uma nova grande banda surgia dentro do cenário do rock.

Lembro-me até hoje da estreia do videoclipe de “I´ll stick around”, em 1995. A MTV passava o clipe de hora em hora e eu o assistia várias vezes, muito entusiasmado com a nova banda de Grohl. Na letra, Dave diz “Eu não devo nada a você” e “Será que sou o único que vê / Que sua loucura é ensaiada?”. Muitos consideram um recado à viúva de Cobain, Courtney Love, desafeto de Grohl e dos outros integrantes do Nirvana por muitos anos. O clipe é totalmente influenciado pela banda DEVO, tanto que foi o próprio vocalista do DEVO, Gerald V Casale que o dirigiu.

Big me” tem uma melodia “Beatleniana” e foi o primeiro clipe do Foo Fighters com a tradicional marca bem humorada que acompanha o grupo até hoje. “Alone + easy target” e “Good grief” são pedradas que mostram também toda visceralidade de Grohl na bateria, assim como nos tempos de Nirvana. “Floaty” misturas guitarras distorcidas com violões com melodia nostálgica que Dave sabe fazer como poucos. “Weenie beenie” tem vocais distorcidos e gritados, com muito peso e energia, enquanto “Oh George” é extremamente melódica e cativante. Uma homenagem ao beatle George Harrison.

For all the cows” tem aquela estrutura: começo leve + refrão pesado. Enquanto “X-static” tem guitarras unidimensionais tocadas por Grohl e Greg Dulli. “Wattershed” é outra porrada, que não perde o pique em nenhum momento. “Exhausted” fecha o disco com muita distorção e microfonias, em uma canção que Grohl fez na época do Nirvana e que Cobain gostava muito, tanto que pretendia utilizar em futuros trabalhos da banda.

Este primeiro trabalho do Foo Fighters foi muito bem recebido por crítica e público. A banda saiu em turnê e logo deixou de ser apenas um projeto para ser umas das bandas mais bem sucedidas dos últimos tempos. Um disco clássico que marcou minha adolescência e de muitas pessoas.

Hoje, a banda toca em estádios e tem um som mais grandioso. Mas foi com a sonoridade crua e simples deste disco de estreia que a banda conquistou seus primeiros fãs.

Foo Fighters – Foo Fighters

Ouça o disco

  1. This Is A Call
  2. I’ll Stick Around
  3. Big Me
  4. Alone + Easy Target
  5. Good Grief
  6. Floaty
  7. Weenie Beenie
  8. Oh, George
  9. For All The Cows
  10. X-Static
  11. Wattershed
  12. Exhausted
Anúncios

Comente sobre este disco

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s