Tonico & Tinoco – Na Beira da Tuia – 1959

Tonico & Tinoco

Na Beira da Tuia: disco de Tonico & Tinoco, de 1959

Por Leo Morato

O nome “sertanejo” deriva de “sertão”. A música sertaneja, teoricamente, é a música feita no sertão. Era. Estamos em meados da segunda década do século XXI: o estilo sertanejo é feito por rapazes que vivem em zonas urbanas e agrada a muitos que nunca pisaram numa estrada de terra e nem carpiram uma roça judiada pela falta de chuva.

Hoje, o estilo sertanejo é o tipo de música que tem o melhor retorno financeiro para seus investidores (empresários e gravadoras) e tem a maior popularidade entre os brasileiros, liderando todas as listas de discos mais vendidos e tournês mais lôngevas – todas com ingressos esgotados – entre artistas brasileiros.

Se temos este cenário nos dias de hoje, tudo isso é graças a uma dupla que começou a se apresentar publicamente em 1935, no meio de sua adolescência, na roça. Ou melhor, no sertão. Tonico e Tinoco são a dupla mais importante e que mais influenciou artistas do sertanejo brasileiro.

E, mesmo ambos tendo começado a aprender a tocar viola e acordeom quando mal haviam largado as fraudas, em 1924, só lançaram seu primeiro disco quase 30 anos mais tarde: em 1959. A estrada percorrida pelos irmãos Tonico e Tinoco – conhecidos como Irmãos Perez no começo de carreira – não foi fácil.A dupla era enorme sucesso nas rádios de todo o Brasil e, mesmo com a falta de estrutura do rádio brasileiro na época, se viravam.

Certa vez, precisavam entrar ao vivo numa rádio da cidade aonde moravam – Botucatu, interior de São Paulo – mas o estúdio que pretendiam usar estava ocupado. Resolveram se apresentar dos corredores da rádio, longe do locutor que estava em outra sala. Estranhando a distorção e os barulhos ao fundo, o âncora pergunta a Tonico de onde eles falavam. A resposta: “Da beira da tuia!”.

O bordão pegou e praticamente tudo o que Tonico e Tinoco fizeram ao longo de seus mais de 60 anos de carreira (!!) girou em torno deste nome: Na Beira da Tuia. Mas as dificuldades continuaram mesmo com o grande sucesso no rádio e quando tiveram a oportunidade de gravar seu primeiro disco.

Na Beira da Tuia é um disco diferente não só por ser o primeiro disco de música sertaneja do Brasil e o primeiro de uma dupla com mais de 30 anos de carreira, na época. Na Beira da Tuia também é diferente pois é um disco de apenas uma faixa(!?).

O disco deveria ser um compacto simples, com gravações dos dois lados. Mas Tonico e Tinoco não tinham experiência alguma com gravações, apenas com programas de rádio. Na hora de gravar Na Beira da Tuia, um forte agudo dado pela dupla de voz potente estourou as caixas de som. Sem caixas reservas, o disco ficou assim mesmo, sem lado b e só com uma única faixa: Amei. A música é uma moda de viola caipira das mais tradicionais, com o choro do sertanejo romântico e que influencia até os dias de hoje qualquer trilha sonora de festa junina.

A segunda faixa, que não pudemos ouvir neste “disco”, o público conheceria apenas meses depois, já em 1960, quando a dupla gravou um novo compacto simples – com lado a e b – e após muitas aulas de canto para que Tonico e Tinoco aprendessem a lidar com as modernidades da época. A época das origens da música brasileira que conquista tanta gente nos dias de hoje.

Tonico & Tinoco – Na Beira da Tuia

Ouça o disco

  1. Amei
Anúncios

Um comentário sobre “Tonico & Tinoco – Na Beira da Tuia – 1959

Comente sobre este disco

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s